Retrospectiva 2012 – O Espaço

Monte Sharp - Marte

Monte Sharp fotografado pelo robô Curiosity em Marte –
Foto: NASA/JPL-Caltech/MSSS

Ainda estamos sós

A exploração espacial humana avançou em Marte, descobriu água em Mercúrio e rompeu a fronteira do sistema solar, mas ainda não encontrou vida fora da Terra.

Nunca fomos tão longe e vimos com tanta precisão como em 2012. Nesse período, o robô Curiosity pousou em Marte, mandou imagens surpreendentes e revelou paisagens e cantos desconhecidos do nosso vizinho. Em outra frente de exploração espacial, as sondas Voyager tornaram-se os primeiros objetos concebidos pelo homem a deixar os confins do Sistema Solar. Por fim, no mês passado, a Nasa confirmou a hipótese de que há gelo em Mercúrio, além de ter encontrado indícios de matéria orgânica nos polos do astro.

gelo Mercúrio

Pontos onde foi encontrado gelo no polo norte de Mercúrio – Foto: NASA/JPL-Caltech/MSSS

No final de novembro, o geólogo John Grotzinger, envolvido no projeto Curiosity, concentrou a atenção da comunidade científica. Declarou que a agência espacial americana tinha informações sobre Marte que iriam mudar os livros de história. A expectativa era de que os cientistas anunciassem indícios de vida microbiana no planeta. O balde de água fria veio quando a Nasa apenas declarou que encontrou compostos de cloro que talvez contenham também carbono, um dos ingredientes básicos da vida. E esse carbono poderia até ter sido transportado pelo próprio Curiosity.

Muitos se perguntam se vale a pena gastar US$ 2,5 bilhões em uma missão como essa, quando há tantos problemas a serem resolvidos aqui mesmo na Terra. Para cientistas como o brasileiro Ramon de Paula, responsável na Nasa pelas sondas Odissey e Mars Reconnaissance Orbiter, a resposta é positiva. Marte e Terra eram muito parecidos há milhões de anos. É importante saber o que aconteceu com a água que havia lá. Esse projeto vai gerar conhecimento que pode ajudar a proteger o meio ambiente do nosso planeta.

Apesar de tantas conquistas a comemorar e de tantos investimentos, a ciência ainda não respondeu a uma de nossas maiores inquietações: estamos sós? Não se sabe ainda, mas uma coisa é certa: ao procurar seres vivos lá fora, podemos melhorar a vida por aqui.

Fonte:  ISTOÉ Retrospectiva 2012, Retrospectiva 2012 / Espaço, N° Edição:  2250, 21.Dez.12 – 21:00, Atualizado em 24.Dez.12 – 14:58, por Juliana Tiraboschi

Anúncios
Esse post foi publicado em - exploração espacial, Astronomia e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s