Einstein estava certo: as ondas gravitacionais existem!

einstein_smalldynamiclead_dynamic_lead_slide

Albert Einstein previu, em 1915, em sua Teoria Geral da Relatividade, a existência de ondas gravitacionais. Após um século, cientistas confirmaram a tese do físico alemão. Imagem: American Museum of Natural History – AMNH.

Eureca! Na última quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016, cientistas anunciaram a existência de ondas gravitacionais, previstas por Albert Einstein, em 1915, em sua Teoria Geral da Relatividade. A descoberta pode mudar a concepção humana de tempo e espaço.

A descoberta ocorreu no dia 18 de setembro de 2015, quando cientistas do laboratório LIGO (Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser), nos Estados Unidos, identificaram um pequeno “ruído” gravitacional produzido pela colisão de dois buracos negros (um de massa 36 vezes maior que o Sol, outro com massa 29 vezes maior) que estão há cerca de 1,3 bilhões de anos-luz da Terra.

ligo20160211_Tn

Colisão de dois buracos negros, distantes 1,3 bilhões de anos-luz da Terra, gerou um ruído que foi detectado pelos equipamentos dos cientistas do LIGO, em 18/9/2015. A descoberta foi anunciada ao mundo na quinta-feira, 11/2/2016. Imagem: LIGO.

A equipe do LIGO contou com centenas de colaboradores, entre eles sete brasileiros, sendo que seis deles são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais(INPE), de São José dos Campos (SP), sob a coordenação de Odylio Denys de Aguiar.

De acordo com Einstein, qualquer evento cósmico que causasse perturbação no espaço-tempo com bastante força poderia produzir ondulações gravitacionais que se propagariam pelo Espaço.

Assim, como os buracos negros que se colidiram estão a uma distância de 1,3 bilhões de anos-luz, significa dizer que ouvimos um som vindo do passado, entre 600 milhões e 1,8 bilhões de anos atrás. Que viagem no tempo!

645-F1.large

Concepção artística das ondas gravitacionais. Imagem: Science.

Aliás, a Terra deveria estar cheia dessas ondas gravitacionais, mas quando elas nos alcançam, já estão muito enfraquecidas. Por isso, a necessidade de utilizar moderníssimos instrumentos para detectar essas ondas.

Um dos pesquisadores, Kip Thorne, é um respeitado astrofísico que até colaborou no roteiro do filme “Interestelar”.

Muito louco, né? Para entender melhor, confira o vídeo explicativo produzido pelo site de quadrinhos científicos PHD Comics (clique em Configurações para colocar a legenda em português):

FONTES: LIGO / GALILEU / PLANETARIO DO RIO / PHD COMICS

Anúncios
Esse post foi publicado em - curiosidades, Astronomia e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s