IV Festa Literária Internacional de Ipojuca

Que tal aliar sol e mar a uma boa leitura? A IV Festa Literária Internacional de Ipojuca (Flipo 2016) terá início nessa quinta-feira (01/09) e irá até domingo (4), na praia de Porto de Galinhas.

O evento contará com a presença de escritores e também terá o espaço “Faz de Contas”, com programação especial para as crianças.

O livro “A Lua Tristonha”, do escritor pernambucano Rômulo Bourbon, poderá ser adquirido no stand da UBE – União Brasileira de Escritores.


Com o tema “Literatura e Mudança”, a Flipo sediará ainda III Congresso Mundial de Engenheiros Escritores, o VI Encontro Pernambucano de Escritores, o III Encontro Regional da Academia de Letras do Nordeste e a FestFLIPO.

Alguns nomes já estão confirmados, dentre eles Raimundo Carrero, Manuel Dantas Suassuna, Jefferson Linconn, Ernesto Melo e Castro, Tatiana Meira, Tarcisio Pereira, José Renato Silveia e Jô Mazzarolo. O homenageado deste ano é o poeta Marcos Accioly.

Serviço
IV Flipo
1° a 4 de setembro
Porto de Galinhas, Ipojuca-PE

Publicado em - A Lua Tristonha, Astronomia, Literatura | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Descoberto planeta parecido com a Terra em sistema solar vizinho

proximab-superficie-750x487

Cientistas sonham com nave que poderia ir a Proxima Centauri em 20 anos

Um dos aspectos mais atraentes de termos encontrado um planeta potencialmente habitável na estrela mais próxima do Sol é a perspectiva de estudá-lo em detalhe — quem sabe até enviando uma espaçonave até lá.

Em abril deste ano, o bilionário russo Yuri Milner lançou um projeto, em parceria com um comitê científico de respeito encabeçado pelo físico britânico Stephen Hawking, para tentar desenvolver a tecnologia necessária.

Agora, que ninguém pense que estamos perto de conseguir fazer algo assim. Quando saltamos da escala interplanetária, dentro do Sistema Solar, para as viagens interestelares, a coisa fica feia.

Novo-planeta-proxima

O objeto mais distante e veloz já enviado da Terra é a sonda Voyager 1, que a essa altura já trafega três vezes mais distante do Sol que Plutão, depois de 40 anos no espaço. Isso equivale a pouco menos de 38 horas-luz de distância. No momento, ela se afasta do Sol a estonteantes 17 km/s.

Proxima Centauri, por sua vez, está a 4,2 anos-luz, o equivalente a 36,8 mil horas-luz — quase mil vezes mais longe que a Voyager 1.

Se a sonda estivesse viajando na direção certa, poderia chegar lá em mais ou menos 74 mil anos. Não é preciso ser físico nuclear para saber que sua bateria de plutônio ficaria sem energia muito antes disso.

EMPURRÃO DE LUZ
Para ter alguma utilidade prática, uma sonda precisaria viajar bem mais depressa que isso — atingindo uma fração significativa da velocidade da luz, o limite máximo permitido no Universo segundo nosso entendimento atual.

É isso que Milner ambiciona tentar desenvolver, com base em tecnologia proposta por Philip Lubin, da Universidade da Califórnia em Santa Barbara. A ideia seria usar canhões de luz laser para empurrar uma microespaçonave no espaço a velocidades comparáveis à da luz, que é de 300 mil km/s.

Teoricamente a conta fecha, e uma sonda poderia chegar a Proxima Centauri uns 20 anos depois de lançada.

Agora, um problema ainda não resolvido é como frear a nave lá para colocá-la em órbita. Sem falar que, a essa velocidade, qualquer colisão com um grão de poeira poderia ser fatal para a missão.

Claramente, a humanidade ainda não é proficiente em voo interestelar. Mas, para quem não era proficiente em voo orbital 60 anos atrás, até que não estamos mal.

Ademais, os cientistas têm muito trabalho a fazer antes que queiramos realizar uma viagem dessas. No momento, Guillem Anglada-Escudé e seus colegas co-descobridores de Proxima b estão testando a possibilidade de que o planeta rotineiramente passe à frente de sua estrela.

Caso esses trânsitos sejam visíveis aqui da Terra, abre-se a perspectiva de usar equipamentos já em operação, como o Telescópio Espacial Hubble, para detectar algo da composição atmosférica desse mundo.

Isso já permitiria checar se ele tem mesmo um ambiente de fato algo parecido com a Terra, ou lembra mais Vênus ou Marte — outros dois planetas tão rochosos quanto o nosso, com nível de radiação também comparável, mas condições nada hospitaleiras.

Será também fundamental nesse esforço de caracterização de Proxima B a próxima geração de telescópios, em terra e no espaço. Gigantes como o E-ELT, do ESO, com seu espelho de 30 metros, devem entrar em operação na próxima década e podem chegar ao nível de precisão requerido para fazer avançar muito nosso conhecimento sobre exoplanetas próximos. O mesmo se pode dizer do James Webb, telescópio espacial que a Nasa quer lançar em 2018.

Somente depois que esgotarmos a capacidade de aprendizado à distância deveríamos cogitar o envio de uma sonda.

Por mais que os entusiastas fiquem ansiosos, tentar mandar algo para Proxima Centauri agora é como sair pelo mar numa embarcação de pequeno porte sem mapa, sem bússola, à noite e sob céu nublado.


Fonte: por Salvador Nogueira, do Mensageiro Sideral

Publicado em - exploração espacial, Astronomia | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

XIII Curso de Introdução à Astronomia da SAR

Rômulo Bourbon Certificado

Certificado de conclusão do XIII Curso de Introdução à Astronomia, realizado nos dias 9, 10, 23, 24, 30 e 31 de julho de 2016, pela Sociedade Astronômica do Recife (SAR).

Foi com muita satisfação que o escritor Rômulo Bourbon, autor do livro A Lua Tristonha, recebeu o certificado de conclusão do XIII Curso de Introdução à Astronomia, promovido pela Sociedade Astrônomica do Recife (SAR).

O curso foi realizado nos dias 9, 10, 23, 24, 30 e 31 de julho de 2016, na Escola de Referência Ensino Médio Porto Digital (EREM), em Recife-PE, com carga horária de 30 (trinta) horas.

Dentre os objetivos do curso, buscou-se familiarizar os alunos com os conceitos da astronomia moderna, bem como dar aos formandos uma visão geral sobre o Universo e auxiliá-los na utilização dos equipamentos astronômicos, como binóculos, lunetas e telescópios.

IMG_0315

Palestra sobre exoplanetas, com o astrônomo Lupércio Bezerra (31/07/2016).

As aulas téoricas abordaram, dentre outros assuntos, a história da astronomia, bem como o estudo sobre galáxias, estrelas, sistema solar, astronáutica, astrobiologia e exoplanetas.

As aulas práticas tiveram como objetivo a observação noturna, com utilização de equipamentos como binóculos e telescópios, para contemplação de astros, lua, planetas, constelações, aglomerados de estrelas etc.

IMG_0316

Aula prática sobre instrumentos de observação – binóculos e telescópios, com o professor Leonardo Neves (30/07/2016).

O curso contou ainda com a presença de palestrantes e colaboradores, dentre os quais citamos Prof. Iron Mendes, Everaldo Faustino, Leonardo Neves, Edmailson Dantas, Diego Alencar, José Ulisses Peixoto, Jean Ribeiro, Ayrton Milet e Silas Ribeiro.

IMG_0317

Da esquerda para a direita: Everaldo Faustino, presidente da SAR; Prof. Antônio Carlos Miranda, doutor em astronomia pela UFRN; Rômulo Bourbon, escritor; e Diego Alencar, membro da SAR (10/07/2016).

Fundada em 1973, a Sociedade Astronômica do Recife (SAR) chega, em 2016, aos 43 anos de existência, oferecendo cursos periódicos e promovendo eventos de observação noturna. Visite a página sociedadeastronomica.com.br

Publicado em - A Lua Tristonha, - Rômulo Bourbon, - sistema solar: planetas e astros, Astronomia, Literatura | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Dia Mundial da Fotografia e a Astrofotografia

DIA_MUNDIAL_DA_FOTOGRAFIA

19 de Agosto – Dia Mundial da Fotografia

Olhe o passarinho! Diga xiiiis! Hoje, 19 de agosto, é comemorado o Dia Mundial da Fotografia. Você sabia que, no campo da astronomia, a fotografia é largamente utilizada por astrônomos amadores para capturar as mais belas imagens de vários eventos astronômicos? A essa técnica damos o nome de astrofotografia.

Astrofotografia é um tipo especializado de fotografia que envolve gravar imagens de corpos celestes e grandes áreas do céu noturno. A primeira fotografia de um corpo celeste (a Lua) foi tirada em 1840, mas foi somente no final do séc. XIX que a tecnologia permitiu a fotografia estelar detalhada.

astrofotografia

À esquerda, primeira astrofotografia da história. As primeiras fotos bem sucedidas saíram em 1840.

Além de ser capaz de gravar os detalhes de corpos extensos, como a Lua, o Sol e os planetas, a astrofotografia tem a capacidade de mostrar objetos invisíveis ao olho humano, como nebulosas e galáxias.

Isso é feito por longa exposição, usando uma capacidade que tanto os filmes quanto os sensores digitais têm de acumular fótons de luz em longos períodos de tempo. A fotografia revolucionou a pesquisa astronômica profissional.

time-lapse-matheus-gomes-01

A via láctea. Crédito da imagem – @ Matheus Gomes

As longas exposições revelaram centenas de milhares de novas estrelas e nebulosas que eram invisíveis ao olho humano, levando a telescópios óticos especializados cada vez maiores, que eram essencialmente grandes “câmeras”, projetados para coletar a luz e gravá-la no filme.

A astrofotografia teve um importante papel no início dos estudos do céu e da classificação das estrelas, mas com o tempo, deu lugar a equipamentos mais sofisticados e técnicas especialmente concebidas para a investigação científica, com o filme tornando-se apenas uma das muitas formas de gravar a imagem.

IMG_0279

Foto da lua. Crédito da imagem, por Daniel Vinhal (Instagram – @photovinhal)

Astrofotografia hoje é parte da astronomia amadora, e normalmente é utilizada para gravar imagens esteticamente agradáveis do céu, ao invés de imagens para a pesquisa científica.

Aposto que você deve ter um monte de fotos de suas viagens, de sua família, de paisagens, não é? Mas será que você já posicionou as lentes de sua câmera para o alto e tentou fotografar algum corpo celeste?

Então, que tal experimentar a astrofografia tirando fotos do astro mais próximo e visível de todos? Para tirar boas fotos da Lua, aproveite a fase de lua cheia e… click! Torne-se também um astrofotógrafo.

henri_cartier_bresson_fotografar_e_coloca_ol

Fotografar, é colocar na mesma linha, a cabeça, o olho e o coração” (Henri Cartier-Bresson)


Fonte: Wikipédia

Publicado em - curiosidades, Astronomia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Phelps, o alien papai

RIOEC8A04Z0VM_768x432

Michael Phelps, maior medalhista olímpico da história.

Domingo, 14 de agosto de 2016. No dia dos pais, uma homenagem a todos os papais, representados por Michael Phelps, que esteve acompanhado de seu filho Boomer, nascido em maio desse ano, nas provas de natação dos jogos olímpicos Rio 2016.

A propósito, a primeira Olimpíada realizada num país da América do Sul, o Brasil, deixou uma grande dúvida para todos. Afinal, o nadador norte-americano Phelps é humano ou alienígena?

Grey-Alien (1)

Será esse o segredo de Phelps? Seria ele um extraterrestre vindo de algum planeta onde só há água por todos os cantos?

No Rio, Phelps ganhou 5 ouros e 1 prata. Aumentou sua invejável coleção e agora é dono de 28 medalhas olímpicas, com 23 ouros, três pratas e dois bronzes (p.s.: esse cara é mesmo desse planeta?).

Mas, para a tristeza dos terráqueos, o super-atleta e extraterrestre Phelps nadou sua última prova nesse sábado, 13 de agosto de 2016, faturando mais um ouro na prova do revezamento 4 x 100m medley.

Aos 31 anos, no domingo do Dia dos Pais, ele deixa a forma alienígena e volta a ser humano para comemorar essa data tão especial com seu filho Boomer.

boomer-swimming-mp-insta-web

Michael Phelps e seu filho Boomer.

Nós, que fazemos o blog A Lua tristonha, damos os parabéns a todos os pais do mundo, sejam humanos ou extraterrestres.

Ser pai é nadar nos mares de planetas distantes para desembarcar na Terra e estar ao lado de nossos filhos“.

IMG_9940

O escritor Rômulo Bourbon e seu filho Ronald (6)

IMG_9686

O escritor Rômulo Bourbon e sua filha Júlia (12)

015

Homenagem ao papai. De Ronald para o pai, Rômulo Bourbon.

Publicado em - outros, - Rômulo Bourbon, Literatura | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Quem sabe dizer o que vemos nessa foto?

IMG_0072

Foto de Silas Ribeiro, da Sociedade Astronômica do Recife (SAR).

Quem sabe dizer o que vemos nessa foto? Dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe três…

A foto foi captada em 31/08/2014 pelo astrônomo amador Silas Ribeiro, da Sociedade Astronômica do Recife, onde podemos ver a Lua, em detalhes, com Saturno ao fundo.

Segundo Silas, temos na foto uma “ocultação de Saturno”, quando a Lua passou pela frente daquele planeta. O evento durou aproximadamente 1 (uma) hora e a imagem foi captada perto do anoitecer. E, pasmem, a foto foi tirada com a câmera de um telefone celular, encostada na ocular do telescópio.

Visite o site da sociedadeastronomica.com.br
No Facebook: @SarAstronomia

Publicado em - curiosidades, Astronomia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

250.000 acessos

recorde

No clima dos jogos olímpicos do Rio 2016, pegamos carona com Michael Phelps e Usain Bolt para anunciar um novo recorde astronômico: ultrapassamos a marca de 250.000 acessos no nosso blog!

E você? Já visitou o blog? Passa lá, então! Clique em aluatristonha.wordpress.com para conferir um dos portais mais divertidos de Astronomia & Literatura da Internet. Até a próxima, astronautas!

Publicado em - A Lua Tristonha, Literatura | Marcado com , , , , | Deixe um comentário