MPF das Crianças

dias-das-criancas-prpe

Dia das Crianças na PRPE (ilustração: divulgação/ASCOM).

Nesta sexta-feira, 14 de outubro de 2016, foi um dia de diversão na Procuradoria da República em Pernambuco (PRPE). Durante a tarde, das 14h às 17h, foi comemorado o Dia das Crianças na PRPE, com muitas brincadeiras e a participação do escritor Rômulo Bourbon, contando a história do livro “A Lua Tristonha”.

Você sabia que o Ministério Público Federal (MPF) cuida da proteção dos interesses dos cidadãos e das leis? Porém, nessa sexta, foram as crianças que baixaram o novo decreto: FESTA!!!

Na oportunidade, o escritor Rômulo Bourbon fez a contação da história “A Lua Tristonha” para o público infantil, que acompanhou a leitura vendo as imagens no telão montado no auditória da PRPE. No final, houve um sorteio de um livro para os pequenos. Confira abaixo:

img_0371

O escritor Rômulo Bourbon faz a contação da história “A Lua Tristonha” para o público infantil, em comemoração ao Dia das Crianças na PRPE (foto: ASCOM).

A programação incluiu brincadeiras com animadores no auditório da unidade, plantação das primeiras sementes da horta da Procuradoria, pintura de parede do prédio e banho de mangueira.

Confira algumas fotos do evento:

img_0357

Brincadeiras com recreadores no auditório. Dias das Crianças na PRPE (foto: ASCOM).

img_0331

Paula e sua filha, Lara, participaram do Dia das Crianças na PRPE (foto: ASCOM).

img_0427

O pequeno Ronald e as outras crianças plantaram as primeiras sementes da horta da PRPE, porque cultivar é preciso (foto: ASCOM).

img_0464

A garotada “pintou o sete” com suas obras de arte no mural da PRPE (foto: ASCOM).

A Comissão  de Eventos da PRPE destacou que atividades foram pensadas como uma oportunidade de integração entre pais, mães e filhos.

Por falar em crianças, vale a pena visitar o site da Turminha do MPF. Lá, o Rafinha, a Malu, o Munami e outros personagens falam sobre temas como direitos das crianças, preservação ambiental e respeito às diferenças. Acesse www.turminha.mpf.mp.br

turminha-do-mpf

Turminha do MPF (foto: divulgação/MPF).

Então, meus caros leitores astronautas…

Até a próxima!

Publicado em Astronomia | Marcado com , , , , , | 2 Comentários

Cientistas descobrem o maior dinossauro brasileiro

76aq7ne1xlmw3uoxpyhfanuxz

Austroposeidon é da família dos titanossauros – espécie retratada em obra do artista Northon Fenerich, em frente a museu em Peirópolis (Creative Commons). Fonte: Último Segundo – iG @

Há 66 milhões de anos, um meteorito de mais de dez quilômetros de diâmetro caiu sobre o que hoje é a Península de Yucatán, no México (então submersa), e desencadeou um cataclismo que terminou com uma infinidade de organismos vivos. Entre eles, os dinossauros.

Disso todo mundo já sabia, não é? Mas o que ninguém sabe (ainda) é que cientistas divulgaram nesta quarta-feira (5) a descoberta de uma nova espécie de dinossauro, considerada a maior já encontrada no Brasil.

O fóssil foi encontrado na década de 1950, em São Paulo, pelo paleontólogo Llewellyn Ivor Price, e estava guardado no Museu de Ciências da Terra, no Rio de Janeiro. Antes sabíamos que o maior dinossauro media 13 metros.

foto11

Anteriormente, o maior dinossauro descoberto no Brasil foi uma da espécie Titanossauro que media 13 metros. Com a descoberta dessa quarta-feira (5), o mais novo Titanossauro encontrado possui quase o dobro do tamanho daquele.

Austroposeidon é da família dos titanossauros – espécie retratada em obra do artista Northon Fenerich, em frente a museu em Peirópolis (Creative Commons).

Batizado de Austroposeidon magnificus, o dinossauro media cerca de 25 metros de comprimento. Com base nas características anatômicas, o animal pode ser classificado no grupo dos titanossauros, animais herbívoros de corpo bem desenvolvido, pescoço e cauda longos e um crânio relativamente pequeno.

O material encontrado e uma reconstrução do braço do animal em tamanho natural estarão expostos no Museu de Ciências da Terra para visitação pública a partir desta quinta-feira (6).


Fonte: Último Segundo – iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2016-10-05/dinossauro-brasil-sao-paulo.html

Publicado em - curiosidades, Astronomia | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Estação espacial chinesa de 8 toneladas cairá na Terra em 2017

cnsa

Estação espacial chinesa (Foto: CNSA )

Não quero causar pânico, mas vocês estão sabendo que a estação espacial chinesa está desgovernada e cairá na Terra em 2017? Detalhe: o artefato possui 8 toneladas!

A primeira estação espacial chinesa, chamada Tiangong-1, foi lançada em 2011 com o objetivo de tornar a China uma referência na exploração espacial. Entretanto, falhas técnicas fizeram com que os chineses perdessem contato com o módulo de 10,4 metros.

Os chineses pretendiam desativar a estação espacial por meio de um pouso controlado no oceano, longe de qualquer habitação. Mas, com esse “pequeno” imprevisto, a geringonça poderá cair em qualquer lugar, inclusive aqui onde estou agora.

Observadores amadores já alertavam sobre a trajetória irregular da estação espacial. Mesmo assim, os orientais ficaram caladinhos no começo. Somente agora o país asiático confirmou a falha, alertando que a perigosa reentrada ocorrerá no segundo semestre de 2017.

Eles garantiram que boa parte das 8,5 toneladas de metal irá se desintegrar na queda. O que preocupa é que, mesmo assim, há pedaços com até 100 kg que poderão sobreviver ao atrito e cair.

E o que é pior! Não se sabe onde…

panic_cartoon

165-166.blogspot.com

Os cientistas estão contando com a sorte. Há probabilidade de o artefato gigante cair na água, afinal 71% do planeta é por ela coberto. Além disso, mesmo que colida com o solo, a chance de cair em área desabitada é grande, pois nem todos os locais são de grandes aglomerações urbanas.

Uma simples mudança nas condições atmosféricas pode mudar o local do pouso de um continente para outro. A questão é saber qual será o continente sorteado? América? E em que país? Brasil?

Hum… E a cidade?


Fonte: Revista Galileu

Publicado em - curiosidades, Astronomia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Selfie

Publicado em - piadas, quadrinhos e charges, Astronomia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Astronomia em quadrinhos

Vendo estrelas com a luneta…

Publicado em - piadas, quadrinhos e charges, Astronomia | Marcado com , , | Deixe um comentário

IV Festa Literária Internacional de Ipojuca

Que tal aliar sol e mar a uma boa leitura? A IV Festa Literária Internacional de Ipojuca (Flipo 2016) terá início nessa quinta-feira (01/09) e irá até domingo (4), na praia de Porto de Galinhas.

O evento contará com a presença de escritores e também terá o espaço “Faz de Contas”, com programação especial para as crianças.

O livro “A Lua Tristonha”, do escritor pernambucano Rômulo Bourbon, poderá ser adquirido no stand da UBE – União Brasileira de Escritores.


Com o tema “Literatura e Mudança”, a Flipo sediará ainda III Congresso Mundial de Engenheiros Escritores, o VI Encontro Pernambucano de Escritores, o III Encontro Regional da Academia de Letras do Nordeste e a FestFLIPO.

Alguns nomes já estão confirmados, dentre eles Raimundo Carrero, Manuel Dantas Suassuna, Jefferson Linconn, Ernesto Melo e Castro, Tatiana Meira, Tarcisio Pereira, José Renato Silveia e Jô Mazzarolo. O homenageado deste ano é o poeta Marcos Accioly.

Serviço
IV Flipo
1° a 4 de setembro
Porto de Galinhas, Ipojuca-PE

Publicado em - A Lua Tristonha, Astronomia, Literatura | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Descoberto planeta parecido com a Terra em sistema solar vizinho

proximab-superficie-750x487

Cientistas sonham com nave que poderia ir a Proxima Centauri em 20 anos

Um dos aspectos mais atraentes de termos encontrado um planeta potencialmente habitável na estrela mais próxima do Sol é a perspectiva de estudá-lo em detalhe — quem sabe até enviando uma espaçonave até lá.

Em abril deste ano, o bilionário russo Yuri Milner lançou um projeto, em parceria com um comitê científico de respeito encabeçado pelo físico britânico Stephen Hawking, para tentar desenvolver a tecnologia necessária.

Agora, que ninguém pense que estamos perto de conseguir fazer algo assim. Quando saltamos da escala interplanetária, dentro do Sistema Solar, para as viagens interestelares, a coisa fica feia.

Novo-planeta-proxima

O objeto mais distante e veloz já enviado da Terra é a sonda Voyager 1, que a essa altura já trafega três vezes mais distante do Sol que Plutão, depois de 40 anos no espaço. Isso equivale a pouco menos de 38 horas-luz de distância. No momento, ela se afasta do Sol a estonteantes 17 km/s.

Proxima Centauri, por sua vez, está a 4,2 anos-luz, o equivalente a 36,8 mil horas-luz — quase mil vezes mais longe que a Voyager 1.

Se a sonda estivesse viajando na direção certa, poderia chegar lá em mais ou menos 74 mil anos. Não é preciso ser físico nuclear para saber que sua bateria de plutônio ficaria sem energia muito antes disso.

EMPURRÃO DE LUZ
Para ter alguma utilidade prática, uma sonda precisaria viajar bem mais depressa que isso — atingindo uma fração significativa da velocidade da luz, o limite máximo permitido no Universo segundo nosso entendimento atual.

É isso que Milner ambiciona tentar desenvolver, com base em tecnologia proposta por Philip Lubin, da Universidade da Califórnia em Santa Barbara. A ideia seria usar canhões de luz laser para empurrar uma microespaçonave no espaço a velocidades comparáveis à da luz, que é de 300 mil km/s.

Teoricamente a conta fecha, e uma sonda poderia chegar a Proxima Centauri uns 20 anos depois de lançada.

Agora, um problema ainda não resolvido é como frear a nave lá para colocá-la em órbita. Sem falar que, a essa velocidade, qualquer colisão com um grão de poeira poderia ser fatal para a missão.

Claramente, a humanidade ainda não é proficiente em voo interestelar. Mas, para quem não era proficiente em voo orbital 60 anos atrás, até que não estamos mal.

Ademais, os cientistas têm muito trabalho a fazer antes que queiramos realizar uma viagem dessas. No momento, Guillem Anglada-Escudé e seus colegas co-descobridores de Proxima b estão testando a possibilidade de que o planeta rotineiramente passe à frente de sua estrela.

Caso esses trânsitos sejam visíveis aqui da Terra, abre-se a perspectiva de usar equipamentos já em operação, como o Telescópio Espacial Hubble, para detectar algo da composição atmosférica desse mundo.

Isso já permitiria checar se ele tem mesmo um ambiente de fato algo parecido com a Terra, ou lembra mais Vênus ou Marte — outros dois planetas tão rochosos quanto o nosso, com nível de radiação também comparável, mas condições nada hospitaleiras.

Será também fundamental nesse esforço de caracterização de Proxima B a próxima geração de telescópios, em terra e no espaço. Gigantes como o E-ELT, do ESO, com seu espelho de 30 metros, devem entrar em operação na próxima década e podem chegar ao nível de precisão requerido para fazer avançar muito nosso conhecimento sobre exoplanetas próximos. O mesmo se pode dizer do James Webb, telescópio espacial que a Nasa quer lançar em 2018.

Somente depois que esgotarmos a capacidade de aprendizado à distância deveríamos cogitar o envio de uma sonda.

Por mais que os entusiastas fiquem ansiosos, tentar mandar algo para Proxima Centauri agora é como sair pelo mar numa embarcação de pequeno porte sem mapa, sem bússola, à noite e sob céu nublado.


Fonte: por Salvador Nogueira, do Mensageiro Sideral

Publicado em - exploração espacial, Astronomia | Marcado com , , , , | Deixe um comentário